O Velhote do Penedo

O Velhote do Penedo
O Velho Professor do Penedo em plena labuta! Vida difícil, esta!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

CPMF é um roubo!


Canalhices

Estava o Velhote do Penedo podando seus ralos e grisalhos cabelos quando o Ananias, meu fiel e cordial barbeiro, ligou a TV – e quem estava falando era o ministro Levy, aquele ministro indicado pelo presidente do Bradesco ao Lula, que o impôs à Dilma. Levy, naquele estilo monocórdio de sempre, explicava o pacote econômico que ele tramara com outros ministros, tendo como coadjuvante “tia” Dilma, que não entende nada de economia, mas diz (e pensa) que entende.

Não ouvi toda a parolagem de Levy, mas, me parece, que o ponto alto do “pacote” é a recriação da CPMF, que Lula, na oposição, chamou de “esbulho”, de “roubo” e de “usurpação dos direitos do trabalhador”. No Congresso, a bancada do PT votou em bloco contra a CPMF, vociferando contra o “roubo” patrocinado pelo governo FHC.

Bem verdade que Lula, em 2007, mudou de idéia – e quando o Congresso resolveu acabar com a CPMF, ele afirmou que seria impossível administrar o Brasil sem o “esbulho”, ou seja, sem a CPMF. Lula, certa vez, disse, para gáudio de petistas e afins, que era “uma metamorfose ambulante”, embora não saiba exatamente o que seja metamorfose e suponha que ambulante, no caso, é camelô. Lula, na verdade, é um trapaceiro.

Quando a CPMF foi abatida no Congresso, no segundo governo Lula, quem liderou a batalha foi a senadora Kátia Abreu, lídima representante do agronegócio e inimiga ferrenha do PT, do Lula e dos petistas em geral. Hoje, Kátia Abreu é ministra da Dilma – e Dilma é madrinha de casamento da Kátia. O que pensará Kátia da ressurreição da CPMF, que ela ajudou a sepultar?

A canalhice é tanta que a justificativa para a medida do Levy foi o custo previdenciária, ou seja, das aposentadorias e pensões. As elites odeiam as crianças, que custam dinheiro (educação, saúde e outros gastos), e os idosos (aposentadorias, saúde, etc.). O ideal para essa gente é que fosse criada uma “solução final” para os idosos, essa cambada de gente inútil, que já deu o que tinha que dar e, agora, vive sob as asas do governo. É muita canalhice, pois a sociedade é informada que o CPFM existe por causa dos aposentados – eu vi o Levy dizer isto. O que ele quis dizer foi o seguinte: senhores, crio a CPMF por causa dos inúteis, ou seja, os aposentados.

Vi, outro dia, um documentário que mostrava hordas nazistas espancando, em plena via pública, judeus e outros grupos indesejáveis. Por que a Dilma não promove algo semelhante no Brasil? Afinal, basta mobilizar o exército do Stédile (apud Lula).

Os petistas aposentados, por exemplo, tenho certeza que aceitarão em holocausto o linchamento ideológico deles próprios – afinal, tudo para salvar o PT, Dilma e Lula do fracasso em que eles transformaram o Brasil.

O Velhote encerra por aqui, dizendo que tudo é falso na CPFM, a começar pela trapaça do nome: “contribuição provisória”. E tão provisória que no pacote do Levy, não se estabelece prazo de sua vigência. Perguntado por uma jornalista, Levy titubeou e disse “nós acreditamos que o prazo seria de uns quatro, cinco anos”. Uma resposta digna de um trapaceiro pego com a boca na botija.

Nenhum comentário:

Postar um comentário